Neeo Odontologia

  • DTM
  • CIRURGIA ORTOGNÁTICA, (DTM) e IMPLANTES DENTÁRIOS

CIRURGIA ORTOGNÁTICA, (DTM) e IMPLANTES DENTÁRIOS

CIRURGIA ORTOGNÁTICA

A Cirurgia Ortognática é um procedimento para correção de desarmonias faciais que são causadas por uma má posição dentária e dos maxilares. Geralmente, é resultado de um crescimento inadequado (exagerado ou diminuído) de algum dos ossos que envolve a face, como: mandíbula, maxila, mento (queixo) ou zigomático (malar ou maçã do rosto). “A assimetria facial ocorre nestes casos e essa alteração, normalmente, começa durante a fase de crescimento e se estabiliza na idade adulta podendo comprometer além da respiração, articulação, mastigação e fala, a harmonia e a beleza do rosto”, diz.

Dr. Rafael Zetehaku trabalha, em muitos casos, com a técnica de Benefício Antecipado e em TODOS os casos com planejamentos virtuais 3D computadorizados. Dessa forma, é possível antever os resultados cirúrgicos e alterações faciais, trazendo mais segurança e conforto ao paciente e, ainda, pode reduzir o tempo total de tratamento. “Além de melhorar a estética facial, a Cirurgia Ortognática também pode prevenir problemas como alterações e degeneração da Articulação Temporomandibular e problemas dentários e gengivais”, acrescenta.

DISFUNÇÃOTEMPOROMANDIBULAR(DTM)

A articulação temporomandibular (ATM) é a articulação que liga a mandíbula ao crânio, e essa pode sofrer vários distúrbios, prejudicando assim sua função. Alguns dos sintomas mais comuns da DTM incluem: bruxismo, dores de cabeça, zumbido no ouvido, estalos ou dor ao abrir ou fechar a boca, travamento da mandíbula, dor nos músculos faciais e do pescoço, além de dificuldade ao mastigar e se alimentar.

O diagnóstico dessa alteração é extremamente complexo e vários fatores podem estar envolvidos: “O maior problema no tratamento da DTM é a inexperiência de alguns profissionais ao tratar seus pacientes. O tratamento pode envolver fisioterapeutas, médicos, outras especialidades odontológicas e o cirurgião Buco-Maxilo-Facial Sem um correto diagnóstico, o paciente dificilmente receberá um tratamento adequado, que seja capaz de melhorar as dores e a qualidade de vida do paciente”, alerta o dr. Rafael.

O tratamento pode envolver medicação, placa miorrelaxante e fisioterapia e, caso necessário, tratamento ir cirúrgico da ATM. Todas as etapas a serem desenvolvidas, devem ser supervisionadas pelo cirurgião Buco-Maxilo-Facial, por isso a importância de um profissional gabaritado e especialista na área para fornecer o adequado diagnóstico e tratamento ao seu paciente.

Um outro problema tratado através da Cirurgia Ortognática é a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), uma doença crônica, caracterizada pela obstrução parcial ou total da via aérea respiratória, causando paradas temporárias e repetidas da respiração enquanto o paciente dorme. Comum em pacientes com deficiência mandibular e sobrepeso, o problema acomete aproximadamente 30% da população adulta mundial.

Os pacientes podem apresentar ronco, sonolência diurna, acordar com sensação de sufocamento, alterações na personalidade, depressão e dificuldade de concentração. 0 tratamentos variam, como fazer uso de placas para avançar a mandíbula e uso de aparelhos como o CPAP; porém o tratamento mais efetivo e especialmente, indicado para casos mais graves a Cirurgia Ortognática, que avança e reposiciona os maxilares, alarga e aumenta o espaço respiratório, evitando as obstruções respiratórias durante o sono.

IMPLANTES DENTÁRIOS: COMO RECUPERARA A MASTIGAÇÃO, AUTOESTIMA E O SORRISO?

Com capacitação em planejamento virtual em Implantodontia, o Dr. Rafael explica que é possível planejar através de tomografias e s computadorizada, a posição, o tamanho e que implante deverá ser utilizado, otimizando os resultados estéticos e funcionais pós-operatórios. Isso aumenta a longevidade e a previsibilidade do tratamento, diminuindo tempo e riscos de complicações durante a cirurgia.

Dr. Rafael Zetehaku explica ainda: Um fator fundamental no sucesso é instalar o implante dentário na melhor posição para receber a futura prótese. Em muitos casos, quando o paciente perdeu o dente há algum tempo, ocorrerá uma atrofia óssea, não existindo osso disponível suficiente para instalar o implante.

Nesses casos, é necessário fazer uma reconstrução com enxerto ósseo antes da colocação do implante. Outro fator fundamental para o sucesso é utilizar uma marca de implante que tenha qualidade e esteja entre os melhores materiais do mundo. Infelizmente muitos profissionais, para reduzir os custos da cirurgia, utilizam implantes de marcas de baixa qualidade, o que aumenta e muito as chances de insucesso e perda dos implantes a curto ou longo prazo. Além disso, o que muitos pacientes não sabem, é que eles devem ser acompanhados durante anos após a instalação dos implantes para fazer a adequada manutenção e higienização das próteses sobre implante, garantindo longevidade ao tratamento realizado”.

CURRÍCULO

  • Doutorando em Implantodontia- Univ. Fed. de Uberlândia
  • Mestre em Cirurgia Buco-Maxilo-Facial- USC, Bauru
  • Especialista em Cirurgia Buco-Maxilo-Facial- Hospital das Clinicas da UFMG
  • Especializando em Disfunção Têmporo-Mandibular e Dor Orofacial (DTM)
  • Fellow do Hospital Universitário da Basiléia, Suíça
  • Pós-Graduado em Cirurgia Oral pela UFMG e em Implantodontia pela PUC-Minas
  • Certificado em Planejamento Virtual 3D em Implantodontia e em Artroscopia da ATM
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Buco-Maxilo-Facial